< Voltar

Peter Neuchs

Peter Neuchs

Peter Neuchs, 1958, Dinamarca. Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Peter Neuchs trabalha com diversos suportes em sua pesquisa visual, como fotografia, aquarela, instalação, escultura, desenho e gravura, e expõe regularmente no Brasil e na Europa. Suas obras estão presentes em inúmeras coleções públicas e privadas.

Brief Encounters #1

Brief Encounters #1
R$6.194,00

Brief Encounters #2

Brief Encounters #2
R$4.075,00

Brief Encounters #3

Brief Encounters #3
R$4.140,00

Brief Encounters #4

Brief Encounters #4
R$4.075,00

Brief Encounters #5

Brief Encounters #5
R$6.194,00

Brief Encounters #6

Brief Encounters #6
R$1.271,00

Brief Encounters #7

Brief Encounters #7
R$5.542,00

Brief Encounters #8

Brief Encounters #8
R$3.912,00

Therapy #1 (série The Brighter Side)

Therapy #1 (série The Brighter Side)
R$1.271,00

Therapy #2 (série The Brighter Side)

Therapy #2 (série The Brighter Side)
R$1.271,00

Therapy #3 (série The Brighter Side)

Therapy #3 (série The Brighter Side)
R$1.271,00

Therapy #4 (série The Brighter Side)

Therapy #4 (série The Brighter Side)
R$1.271,00

Therapy #5 (série The Brighter Side)

Therapy #5 (série The Brighter Side)
R$1.271,00

Conheça mais...

"É na banalidade dos lugares que frequenta ou que passa em suas viagens que Peter Neuchs captura esses breves encontros nos quais - nesses momentos fugazes de lucidez - a beleza e a intensidade da vida emergem da vida cotidiana. Suas imagens nos oferece uma dualidade onde o banal é excepcional e a vida cotidiana é eterna. São nos borrões ou nas obscuridades que o significado das coisas percebido pelo artista é revelado sem ambigüidade. Não há expressão de interpretar, nem um símbolo óbvio, mas um véu que cobre essas partes do corpo ou paisagens. Ele nos oferece cortes e fragmentos de momentos como se a beleza, a respiração, as sensações em si escaparam na tentativa de apreendê-las. Trivialidade, mistério e melancolia. O espectador quase se torna o voyeur de breves encontros silenciosos onde o fotógrafo foi tocado profundamente". Jean-Louis Pinte