< Voltar

Glossário

Abstrato: Oposto ao figurativo, tipo de arte em que não se pode identificar os contornos definidos, onde não há objetos reconhecidos, imagem em que não há representação.

Acrílica: Desenvolvido a partir dos anos 1950, tornou-se uma das mais importantes inovações ocorridas na história da pintura. Sua principal característica é a versatilidade: pode ser aplicada em camadas quase transparentes como a aquarela ou de cor pura, como a tinta á óleo. Outra característica é a de ser permanente, isto é, as cores, por serem sintéticas, não sofrem alterações químicas. A superfície pintada também não sofre o fenômeno conhecido com craqueladuras (quebras da superfície pictórica). Além dessas qualidades, a pintura acrílica seca muito rapidamente, permitindo que o artista possa sobrepor as cores mais facilmente do que na pintura a óleo.

Aquarela: A tinta usada para essa técnica é composta de pigmentos que são diluídos em água e aplicados com pincel, geralmente sobre uma folha de papel. A maior característica da aquarela é a sua transparência, que exige uma série de leves aplicações sucessivas de cor para obter o efeito desejado.

Bico de pena: É uma ferramenta usada para escrita e desenhos. Seu formato especial permite aos artistas realizarem facilmente do chamado "efeito fino-grosso" do traço. Esse efeito costuma ser usado para dar volume aos desenhos. O bico em si (um objeto de metal pequeno, com alguns centímetros de comprimento) deve ser acoplado a uma haste ou suporte. Há um orifício, ligado à ponta por um recorte, que serve de canaleta. Quando a bico de pena é mergulhada em tinta, a tensão superficial faz com que ela se fixe nesse buraco, e então vá escorrendo pela canaleta até a ponta. Dependendo da pressão exercida, o traço varia de grossura.

Carvão: O mais antigo dos meios utilizados pelos artistas, o carvão é feito de madeira calcinada. O desenho a carvão é um meio rápido, sensível e eficiente de alcançar resultados satisfatórios, sendo muito usado em aulas de desenho.

Cerâmica: Arte de produção de artefatos de argila ou barro. Pode ser uma atividade artística e artesanal, em que são produzidos artefatos com valor estético, ou uma atividade industrial, através da qual são produzidos artefatos com valor utilitário. A cerâmica artística utiliza basicamente duas técnicas: a modelagem manual e a modelagem em torno.

Daguerreótipo: Criado no século 19, consiste numa imagem fixada sobre uma placa de cobre ou outro metal, com um banho de prata, formando uma superfície espelhada. Trata-se de imagens únicas, fixadas diretamente sobre a placa final, sem o uso de negativo. Os daguerreótipos são extremamente frágeis. A superfície é facilmente riscada e estão sujeitos à oxidação, por isso precisam ser conservados com cuidado.

Edições limitadas: Uma obra de arte pode ter uma tiragem única ou numerada. Dependendo de sua tiragem, como no caso de fotografias e gravuras, acabando a tiragem a obra não poderá ser mais comercializada. Assim, o comprador terá certeza de que não haja mais do que um determinado número de cópias da mesma obra no mercado, proporcionando a exclusividade, a preservação do investismento e sua valorização.

Encáustica: É uma técnica de pintura que se caracteriza pelo uso da cera como aglutinante dos pigmentos e pela mistura densa e cremosa. A pintura é aplicada com pincel ou com uma espátula quente. Podem ser usados materiais como parafina, cera de abelha ou de carnaúba, e os suportes usados podem ser desde uma parede até placas de madeira e telas.

Escultura: Técnica de representar algo por intermédio da criação e reprodução de formas tridimensionais. A escolha do material implica na técnica a ser utilizada: (1) a cinzelação e o entalhe, quando de um bloco de material (mármore, granito, calcário, madeira, marfim, âmbar), se retira o que excede a figura; (2) a fundição, quando se verte metal derretido (bronze, ouro, prata, ferro), em um molde feito com outros materiais; (3) a moldagem de materiais plásticos (argila, gesso, cera, areia) ou com resinas, concreto armado ou plásticos; (4) corte, dobra e solda de chapas metálicas, (5) raio laser.

Figurativo: Apresenta a figura, o desenho definido, o contorno das imagens bem delineado, imagem em que se pode reconhecer o objeto pintado ou reproduzido, imagem em que há representação.

Gravura: Gravura é uma imagem impressa a partir de uma matriz. O material da matriz pode variar, sendo chamada de xilogravura aquela que tem uma matriz em madeira, gravura em metal para as que têm uma placa de metal como matriz, litografia para a que a imagem é criada sobre uma pedra e depois transferida para o suporte e a serigrafia, técnica que se utiliza de uma tela preparada. Geralmente as várias cópias da imagem reproduzida são numeradas e levam a assinatura do artista, compondo o que se chama de tiragem.

Gravura em metal: A técnica da gravura em metal começou a ser utilizada na Europa no século XV. As matrizes podem ser feitas a partir de placas de cobre, zinco, latão e alumínio. As gravações nas matrizes, ou placas de metal, são feitas por incisão direta – buril e ponta seca – ou pelo uso de banhos de ácido – água-forte e água-tinta. Geralmente, a gravura em metal é usada para reproduzir desenhos de linhas finas e texturas.

Guache: O guache é uma aquarela opaca, porém elaborado numa consistência mais líquida por ser utilizada uma quantidade maior de aglutinante. Guache é uma palavra que provem do Italiano "Guazzo" que quer dizer tinta de água.

Iconografia: Conjunto de imagens de determinado objeto ou personagem.

Impressão offset: É um processo planográfico cuja essência consiste em repulsão entre água e gordura (tinta gordurosa). O nome off-set - "fora do lugar" - vem do fato da impressão ser indireta, ou seja, a tinta passa por um cilindro intermediário (blanqueta) antes. Geralmente são feitas grandes tiragens.

Litogravura: A gravura em pedra é baseada no princípio químico de que água e óleo não se misturam. Utiliza-se como matriz uma pedra calcária, tratada e alisada por um bom tempo. Depois, um desenho é feito sobre ela com um lápis especial, à base de resíduos gordurosos. Em seguida, a pedra é umedecida e aplica-se tinta sobre ela. Essa tinta só vai se fixar sobre a imagem desenhada. Ao contrário das outras técnicas da gravura, a litografia é planográfica, ou seja, o desenho é feito através do acúmulo de gordura sobre a superfície da matriz, e não através de fendas e sulcos na matriz, como na xilogravura e na gravura em metal.

Mosaico: É um embutido de pequenas peças (tesselas) de pedra ou de outros materiais como plástico, areia, papel ou conchas, formando determinado desenho. O objetivo é preencher algum tipo de plano, como pisos, paredes ou objetos. O artista organiza pequenas peças coloridas e as colam sobre uma superfície, formando imagens. As peças utilizadas em um mosaico podem ser pequenos fragmentos de pedras, como mármore, granito, pedaços de vidro, seixos, pedras semipreciosas e outros materiais, sobre qualquer superfície, seja ela fixa ou transportável.

Óleo: A pintura a óleo constitui-se de pigmentos moídos misturados com um óleos vegetais como o de linho ou de nozes, entre outros. Por manter-se úmida por um longo período, a pintura a óleo permite um trabalho lento e laborioso, possibilitando uma grande variação de nuanças e introdução de outras cores. Ao secar, a pintura a óleo conserva a cor e o brilho intensos de quando úmida, ao contrário de técnicas como o guache e a acrílica, que têm alterações e ficam opacas.

Pastel seco e de óleo: O termo pastel se aplica a obras realizadas com bastões de pigmento em pó, solidificados com uma pequena quantidade de cola ou aglutinante. O desenho ou pintura a pastel caracteriza-se pela sua fragilidade e pelo aspecto aveludado. As cores do pastel são aplicadas em manchas ou traços diretamente sobre o papel, geralmente sem uso de instrumentos, como os pincéis, mas podendo o artista utilizar os dedos para esfumaçar ou diluir o material sobre a superfície. O pastel a óleo pode ser diluido no suporte usando um pincel e, ao contrário do pastel seco, é um material que em excesso pode ser facilmente removido.

Performance: Surgiu na década de 1960 como uma modalidade de manisfestação artísitca interdisciplinar que – assim como o happening – pode combiner teatro, musica, poesia e video, com ou sem publico. Em geral, segue um roteiro previamente definido, podendo ser reproduzida em outros momentos ou locais; e depende de registros - através de fotografias, vídeos e/ou memoriais descritivos - para alcançar um publico maior.

Ponta-seca: Trata-se de uma técnica de gravura por incisão direta que pode dispensar o uso de verniz. No geral, procede-se como se fosse uma água-forte, isto é, enverniza-se a chapa, faz-se o desenho (à mão ou por decalque) e fixa-se-o com a ponta-seca. O instrumento para a incisão é montado com um cabo de madeira e possui uma pequena barra de aço bem afiada, usada para riscar a placa de metal. A ponta grava o metal e levanta os dois lados do traço, que na gíria dos gravadores são chamadas de rebarbas. Na ponta-seca a tinta da impressão fica presa, não só pela profundidade do traço, mas principalmente nas rebarbas. As variações de tonalidades são conseguidas com maior ou menor pressão, fazendo com que a lâmina penetre mais ou menos na chapa.

Pintura: A pintura, uma das mais antigas manifestações plásticas da humanidade, surgiu há aproximadamente 40.000 a 10.000. Inicialmente eram feitas com pigmentos, tais como terras coloridas esfregadas sobre a rocha. Elas representavam principalmente animais e imagens humanas. Desde então os suportes evoluíram das paredes rochosas para as paredes dos edifícios e, após, para os suportes portáteis, como a tela, o papel, a madeira, os tecidos, etc. Entre as variadas técnicas de pintura, as mais usuais são o afresco, a aquarela, a encaústica, o guache, a pintura a óleo e a acrílica e a têmpera.

Pictórico: O que é relacionado à pintura.

Serigrafia: É um processo de impressão no qual a tinta é vazada – pela pressão de um rodo ou puxador – através de uma tela preparada. A tela (matriz serigráfica), normalmente de poliéster ou nylon, é esticada em um bastidor (quadro) de madeira, alumínio ou aço. É utilizada na impressão em variados tipos de materiais (papel, plástico, borracha, madeira, vidro, tecido, etc.), superfícies (cilíndrica, esférica, irregular, clara, escura, opaca, brilhante, etc.), espessuras ou tamanhos, com diversos tipos de tintas ou cores. Pode ser feita de forma mecânica (por pessoas) ou automática (por máquinas).

Técnica mista: Consiste basicamente na mistura de técnicas, como óleo e/ou acrílica sobre papel ou tela, óleo com colagem, etc; e materiais como ferro, madeira, papel, tecido, etc.

Têmpera: É uma técnica de pintura na qual os pigmentos ou os corantes podem ser misturados com um aglutinante. Esse aglutinante pode ser uma emulsão de água e gema de ovo, o ovo inteiro, ou somente a clara.

Tiragem: A tiragem garante a quantidade de obras do artista comercializada e tem como finalidade aferir quantas fotografias iguais à original existem no mercado do arte. A tiragem pode ser única ou limitada, e tem impacto direto sobre o valor da obra comercializada; por exemplo, quanto maior a tiragem, mais barata será a sua fotografia ou gravura. Por consequência, quanto menor a tiragem, mais cara ela será.

Videoarte: É uma forma de expressão artística que utiliza a tecnologia do video em artes visuais. Atualmente, a videoarte também se utiliza de instalações interativas, e os antigos vídeos que antes eram editados em modo linear agora são realizados com a ajuda de softwares e outros programas digitais.

Xilogravura: A xilogravura é uma técnica de impressão na qual se utiliza placas de madeira como matriz e possibilita a reprodução da imagem gravada sobre papel ou outro suporte adequado. É um processo muito parecido com um carimbo. A madeira é entalhada com ajuda de instrumentos cortantes, deixando em relevo a figura ou forma (matriz) que se pretende imprimir. Em seguida usa-se um rolo entintado, tocando só as partes elevadas do entalhe.